Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Zanadu!

Crónicas de Timbuktu, Trevim e Lisboa (nos melhores dias)

Zanadu!

Crónicas de Timbuktu, Trevim e Lisboa (nos melhores dias)

Acerca de encontros improváveis em 25º grau

por Tiago, em 21.02.16

Para minha grande surpresa, decobri num post do Delito de Opinião sobre Hemingway que, numa viagem do escritor por Hong Kong, este terá conhecido personagens tão incontornáveis e antagónicas como Zhou Enlai e Chiang Kai-Chek. Ainda mais surpreendido fiquei quando percebi que existe um filme da HBO, centrado na história de amor entre Hemingway e Martha Gellhorn (Clive Owen e Nicole Kidman), em que a cena do encontro com Zhou é retratada.

Se entendi bem, esta viagem ocorreu durante a época em que uma China dividida entre nacionalistas e comunistas se opõe ferozmente à invasão nipónica. É fantástico que uma personagem como Hemingway, uma celebridade no seu tempo, possa ter conhecido o Generalíssimo Chiang e um revolucionário como Zhou, mais tarde Primeiro-Ministro e braço direito de Mao durante os anos negros do Grande Salto em Frente e da Revolução Cultural. Zhou é um político especialmente interessante, caso típico de como preto e branco se confundem em ténues tons de cinza, que descobri primeiro pelos relatos de Kissinger e depois pela sua biografia The Last Perfect Revolutionary; este livro dava para aí uns 10 posts sobre a mais refinada intriga e maquinação política.

Reza a história que o casal Hemingway terá ficado extremamente impressionado com a lucidez e inteligência de Zhou, atributos que lhe eram reconhecidos de forma mais ou menos consensual por amigos e inimigos, e convencidos de que os comunistas acabariam por prevalecer na China.

 

Acerca da perenidade de uma tradição

por Tiago, em 22.06.15

Como minhoto que sou, toda a tradição tauromáquica me passa muito ao lado mas não posso deixar de achar imensa graça ao facto de, durante as largadas, espalharem areia nas ruas para...não estragar os cascos aos bichos. Espetar bandarilhas no cachaço tudo bem, agora partir-lhes as unhas é que não. Enfim, suponho que seja essa sensibilidade com o bem estar dos bicos que atrai aficionados por todo o país.

No entanto, atrai-me muito a coragem dos bravos toureiros de rua a quem a cautela, e nunca o medo, leva a fugir desenfreadamente. Como diria um dos mais intrépidos com quem travei conhecimento: como é que vês os meus olhos se quando olhas para mim só vês os teus? É fácil, são lentes espelhadas.

Para terminar num nível elevado um post que de outra forma acabaria na mais profunda estupidez, fica a razão do fascínio de Hemingway pelas faienas:

"The only place where you could see life and death, i. e., violent death now that the wars were over, was in the bull ring and I wanted very much to go to Spain where I could study it. I was trying to learn to write, commencing with the simplest things, and one of the simplest things of all and the most fundamental is violent death."

Hemingway a perguntar pelo preço do capote e das bandarilhas.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Links

Blogs