Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Zanadu!

Crónicas de Timbuktu, Trevim e Lisboa (nos melhores dias)

Zanadu!

Crónicas de Timbuktu, Trevim e Lisboa (nos melhores dias)

Acerca do Carvalho e do Bezerro

por Tiago, em 06.03.17

Na última Feira do Livro de Lisboa comprei um livro de Alexander Soljenítsin chamado O Carvalho e o Bezerro sem sequer me dar ao trabalho de investigar sobre o tema do livro ou de o abrir para ler algumas passagens. Tendo já lido Um Dia na Vida de Ivan Denisovich ou O Pavilhão dos Cancerosos tive de imediato a certeza de que seria algo para o meu gosto. 

Assim, foi grande a surpresa quando percebi que não era um livro de ficção mas sim um livro de memórias fragmentadas sobre a vida literária na União Soviética: a repressão, as manobras difamatórias, as intrigas semi políticas, o escrever às escondidas, no fundo uma vida em sobressalto em que escrever era uma tarefa quase tão difícil como viver num gulag como Soljenitsin também viveu. É a história de alguém que escolheu viver de cabeça erguida e costas direitas, sacrificando para isso a própria vida familiar e recusando sempre o exílio por iniciativa própria até ser expulso em 1974. Curiosamente ou não, a luta de Soljenítsin pela liberdade de expressão está por demais afastada de grandes actos idealísticos, de grandes gestos ou de uma vitimização fácil; é uma luta contra as pequenas e grandes contrariedades e baixezas que se atravessaram no seu caminho, sem desarmar, sem transigir e sempre com um toque mordaz de vaidade e arrogância, perfeitamente inócua e insignificante (mas muito dignificante), contra o imenso poder opressivo da máquina do Estado Soviético. 

Uma das histórias mais transversais em todo o livro é a forma como foi sendo pensado, escrito, escondido e reformulado o livro O Arquipélago Gulag sobre os campos de concentração nos tempos de Estaline e que, de uma forma no mínimo bizarra, não se encontrava em lado nenhum traduzido para português. Por isso é uma notícia espectacular que vá finalmente ser reeditado este ano a propósito do centenário da Revolução de Outubro. Já preparei 20€, andem lá com isso!

8 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Links

Blogs